REGULAMENTO (PROVISÓRIO) ATR - AZORES TRAIL RUN® COLUMBUS TRAIL 2020    

 

Cada participante aceita automaticamente os regulamentos do COLUMBUS TRAIL 2020 by AZORES TRAIL RUN® ao se registrar com sucesso para a evento. O organizador reserva o direito de fazer certas alterações sempre que necessário, que serão comunicadas o mais breve possível. Se houver algum erro ortográfico, ou dúvidas sobre os regulamentos de corrida que foram traduzidos para o inglês do português, ou qualquer outro tipo de erros, os regulamentos em português são os que prevalecem.

1. CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

O  COLUMBUS TRAIL 2020 by AZORES TRAIL RUN® é um evento de Trail Running, composto por várias provas de Trail Running que decorrem na ilha de Santa Maria no arquipélago dos Açores.

1.1. IDADE MÍNIMA DE PARTICIPAÇÃO NAS DIFERENTES PROVAS

A idade mínima para participação em qualquer uma das provas é de 18 anos, completados até ao dia de realização da prova.

​​

1.2. INSCRIÇÃO REGULARIZADA

A inscrição no COLUMBUS TRAIL 2020 by AZORES TRAIL RUN® implica compreender e aceitar sem reservas as regras e o regulamento da prova.

O participante deverá preencher o Termo de Responsabilidade, aquando do Check-In, no secretariado do evento. 

Deverá também proceder ao pagamento da respetiva taxa de inscrição, sendo que não é necessário o envio do respetivo comprovativo de pagamento.

1.3. CONDIÇÕES FÍSICAS E MENTAIS

Cada atleta deve ter plena consciência da necessidade de possuir a condição física adequada às características destas provas de extrema exigência, que alia a elevada dureza do terreno a um considerável desnível e a uma longa quilometragem a cumprir, em condições meteorológicas (exposição ao sol, chuva, frio, vento, nevoeiro) imprevisíveis, que podem ser adversas e eventualmente variáveis ao longo da duração da prova.

Cada atleta deverá aferir das suas capacidades reais de autonomia em montanha que lhe permitam reagir adequadamente na gestão de problemas intrínsecos a este tipo de provas, como sejam a fadiga extrema, os problemas digestivos, as dores musculares e articulares e as lesões.

É recomendável que todos os participantes realizem um exame médico desportivo que ateste a sua aptidão para a realização deste tipo de atividade física.

Em qualquer momento, antes da realização da prova ou durante o decurso da mesma, a organização reserva-se ao direito, se assim o entender, de afastar um atleta caso este apresente algum sinal de patologia que coloque em causa a sua saúde e o seu bem-estar.

Os participantes terão de saber enfrentar problemas físicos e mentais resultantes de fadiga extrema, problemas digestivos, articulares e dores musculares, etc.

1.4. DEFINIÇÃO DA POSSIBILIDADE DE AJUDA EXTERNA

É permitida a ajuda externa aos participantes apenas junto aos locais de abastecimento, definidos pela organização.

1.5. COLOCAÇÃO DE PEITORAL

O peitoral/dorsal é pessoal e intransmissível, devendo o mesmo ser colocado de forma bem visível, durante toda a prova, ou seja, deve ser posicionado sempre sobre a roupa.

1.6. REGRAS CONDUTA DESPORTIVA

Um atleta será punido com desclassificação no caso revele algum sinal de conduta antidesportiva

Casos omissos a este regulamento serão resolvidos pela organização, obrigando-se a mesma a dar, para esse efeito, o respetivo conhecimento às partes interessadas, do modo que considerar mais adequado. São veículos privilegiados de transmissão de informação, o site oficial e a página facebook do evento.

O COLUMBUS TRAIL 2020 by AZORES TRAIL RUN®, é um evento que promove e privilegia, acima de tudo, o fair-play e o respeito pela natureza.

 

2. EVENTO

2.1. APRESENTAÇÃO DAS PROVAS / ORGANIZAÇÃO

O COLUMBUS TRAIL 2020 by AZORES TRAIL RUN® 2020 é um evento desportivo de trail running, que irá decorrer na Ilha de Santa Maria a 1 de Fevereiro de 2020, e que será composto por três provas: Columbus Grand Trail (CGT), Columbus Marathon (CM)e Columbus Half Marathon (CHM).

 

Organização

O evento COLUMBUS TRAIL 2020 by AZORES TRAIL RUN® é organizado pelo Clube Independente Atletismo Ilha Azul (CIAIA), com o NIPC: 512030286 e sede na Rua Capelo Ivens, Apartado 194, 9900 Horta, Açores, com o alto patrocínio da Direção Regional do Turismo e o apoio Câmara Municipal de Vila do Porto

 

​Direção de prova

O diretor da prova será Mário Leal, fundador do evento e ultramaratonista, com a co-direção de Joana Pombo.

 

​Limite de participantes

Devido a razões de logística o COLUMBUS TRAIL 2020 by AZORES TRAIL RUN® é limitado a 450 participantes no total das 3 provas e distribuídas da seguinte forma:

 

Caracterização do evento e descrição dos percursos

O Columbus Trail by Azores Trail Run® , será constituída por três provas competitivas:

Columbus Grand Trail – (CGT) Classifica para o Circuito Nacional de Trail Ultra

 

O Columbus Grand Trail inicia-se no Largo da Câmara Municipal de Vila do Porto em direção à igreja Matriz, continuando pela artéria principal da vila, passa junto ao Forte de São Brás em direção ao Caminho Velho do Cais desfrutando da Marina de Vila do Porto direção ao estaleiro na Doca Seca, a partir do qual segue pela praia do Calhau da Roupa e margem da Ribeira de São Francisco. 

 

A partir daqui o trajeto segue pelo percurso pedestre da Costa Sul, passando pelo Monumento da Pedreira do Campo, Grutas do Figueiral, Prainha e Praia Formosa, sendo todos estes locais privilegiados pela presença de fósseis marinhos únicos, contemplação do mar e encosta sul da ilha até ao Forte de São João Batista. 

 

Neste percurso, o piso é maioritariamente percorrido em caminho rural, pastagem e rocha marítima. O percurso segue nas margens da Ribeira da Praia onde começa a subida para o Caminho Velho da Praia até ao lugar de Além, inicialmente por caminho de asfalto e depois em terreno rochoso técnico e estrada regional até ao primeiro posto de abastecimento. Em Além o percurso faz-se por veredas onde antigamente passavam carros-de-bois que transportavam água da ribeira, aqui o terreno técnico escorregadio desemboca no caminho rural da Piedade que conduzirá os atletas até ao Barreiro da Piedade e, por entre pastagens, ao cimo do monte da Vigia da Baleia.  Na Ponta de Malbusca, num pequeno single track, o percurso passa junto de um fenómeno geológico precioso, a disjunção prismática da Ribeira dos Maloás, e encosta marítima onde se contempla as vinhas do Sul. Seguindo o trajeto os atletas são conduzidos à subida por entre pastagens até à ermida de N. Sr.ª da Boa Morte. A descida para a Ribeira do Cardal faz-se por entre mata, num piso argiloso escorregadio, voltando a subir por entre pastagens até ao povoado do Cardal, onde o casario típico mariense marca a paisagem. O caminho em asfalto entre o Cardal e o início da descida para a Baía da Maia passará a uma descida técnica nos primeiros currais de vinha deste lugar. Na passagem pela Baía, em caminhos estreitos e orla costeira com calhau rolado, o Farol de Gonçalo Velho e a piscina natural estarão sempre em vista até ao segundo posto de abastecimento.

 

Em direção à ermida da Boa Viagem, a subida íngreme da encosta faz-se pelas escadarias irregulares que nascem por entre os currais de vinha, seguindo pelas pastagens húmidas, junto da Ribeira do Aveiro. O caminho de terra conduzirá os atletas ao centro da Freguesia de Santo Espirito, passando por um antigo fontanário entre pastagens e as ruínas de um moinho de vento. A fachada da igreja da Nossa Senhora da Purificação marca o centro da freguesia e os atletas são convidados a contorna-la, seguindo pela rua do Museu até à copeira de Santo António onde tradicionalmente se servem sopas em honra do Espírito Santo. A subida da Rua do Boquete dará lugar a uma pequena descida técnica para de novo subir duas pastagens íngremes em direção à Azenha e Fonte Clara onde o percurso passa a caminhos rurais antigos. Depois da passagem junto ao Miradouro do Espigão, a descida faz-se em caminho de acesso a pastagens e estrada regional que leva os atletas ao anfiteatro natural da Baía de São Lourenço. A descida até ao nível do mar faz-se pelas escadas entre os vinhedos da casta americana Isabella. Percorrendo o passeio marítimo, e depois da passagem pelo terceiro posto de abastecimento, a subida faz-se pela escadaria íngreme da Fajãzinha até ao caminho do Barreiro, que em suave descida conduzirá os atletas à Ponta do Norte onde, entre pastagens, se contempla a Baía e ilhéu do Tagarete. A travessia entre o lugar do Norte e os Lagos faz-se por descida em terreno húmido que logo dará lugar a um caminho rural que sobe o Poço Grande e desce a Boavista, onde se começa a contemplar a freguesia presépio, Santa Bárbara, e encontro de outro posto de abastecimento. 

Ao deixar o povoado repleto de casas com a arquitetura típica mariense, a subida faz-se em direção ao Poço da Pedreira, mais um geossítio único marcado pela ação do Homem na extração manual da Pedra-de-Cantaria. Passando junto dos velhinhos moinhos de vento do Arrebentão a descida técnica e escorregadia em direção à ribeira do Forno e Cai’água dará lugar à longa subida por caminho rural em direção ao Pico Alto. Na estrada de acesso ao ponto mais alto da ilha, o caminho desvia para um sobe-e-desce em single track longo até às Casas-Mata, continuando em direção ao lugar das Bananeiras. Na parte final da descida e depois da passagem pela  Casa do Guarda Florestal haverá um posto de abastecimento. 

Na continuação da passagem pelos trilhos da Grande Rota, no lugar das Bananeiras o percurso coincide com o de pequena rota - Costa Norte. Iniciando com a descida em caminho rural, em direção à Baía do Raposo. O percurso segue por um túnel natural de vegetação endémica e onde se pode ouvir o canto do mais pequeno passeriforme da ilha de Santa Maria – a Estrelinha-de-Santa-Maria -  dando lugar o solo argiloso do Barreiro da Faneca que promete testar os limites das forças dos atletas quando estas argilas ficarem coladas aos seus sapatos. No lugar da Cré, a passagem junto do sopé do Monte Gordo faz-se numa descida muito técnica em caminho largo que continua pelas pastagens da Ponta dos Frades até ao lugar onde Cristovão Colombo aportou na ilha em fevereiro de 1493 e onde hoje existe uma grande estátua em sua memória. Depois do posto de abastecimento na Baía dos Anjos, passado junto da piscina natural e do porto de pescas, o percurso segue em diversas pastagens, junto à orla costeira. A partir daqui o terreno relativamente plano e técnico será constante, mesmo nos terrenos da Costa Oeste onde se encontra a plataforma aeroportuária e o Campo Pequeno onde existirá o último posto de abastecimento antes da meta. A descida e subida da Ribeira Seca, direciona o percurso em direção ao farol do Malmerendo, passando junto de instalações onde em tempos existiram salinas. Com chegada à estrada Regional, entrada na zona industrial da ilha, a última passagem técnica faz-se no desvio para a Canada do Campo que desemboca numa rua paralela à principal artéria de Vila do Porto. A meta encontra-se no mesmo lugar do ponto de partida, em frente do claustro do Convento Franciscano, os últimos metros de prova fazem-se, de novo, em calçada típica.

 

Columbus Marathon – (CM) Classifica para o Circuito Nacional de Trail

 

A Columbus Marathon inicia-se na Baía de São Lourenço, Área de Paisagem Protegida pelas suas encostas em socalcos de vinha, em que os atletas iniciam a sua prova vislumbrando a baía percorrendo o passeio marítimo, seguindo para a subida pela escadaria íngreme da Fajãzinha até ao caminho do Barreiro, que em suave descida conduzirá os atletas à Ponta do Norte onde, entre pastagens, se contempla a Baía e ilhéu do Tagarete. A travessia entre o lugar do Norte e os Lagos faz-se por descida em terreno húmido que logo dará lugar a um caminho rural que sobe o Poço Grande e desce a Boavista, onde se começa a contemplar a freguesia presépio, Santa Bárbara, e encontro de primeiro posto de abastecimento. 

Ao deixar o povoado repleto de casas com a arquitetura típica mariense, a subida faz-se em direção ao Poço da Pedreira, mais um geossítio único marcado pela ação do Homem na extração manual da Pedra-de-Cantaria. Passando junto dos velhinhos moinhos de vento do Arrebentão a descida técnica e escorregadia em direção à ribeira do Forno e Cai’água dará lugar à longa subida por caminho rural em direção ao Pico Alto. Na estrada de acesso ao ponto mais alto da ilha, o caminho desvia para um sobe-e-desce em single track longo até às Casas-Mata, continuando em direção ao lugar das Bananeiras. Na parte final da descida e depois da passagem pela  Casa do Guarda Florestal haverá um posto de abastecimento. 

Na continuação da passagem pelos trilhos da Grande Rota, no lugar das Bananeiras o percurso coincide com o de pequena rota - Costa Norte. Iniciando com a descida em caminho rural, em direção à Baía do Raposo. O percurso segue por um túnel natural de vegetação endémica e onde se pode ouvir o canto do mais pequeno passeriforme da ilha de Santa Maria – a Estrelinha-de-Santa-Maria -  dando lugar o solo argiloso do Barreiro da Faneca que promete testar os limites das forças dos atletas quando estas argilas ficarem coladas aos seus sapatos. No lugar da Cré, a passagem junto do sopé do Monte Gordo faz-se numa descida muito técnica em caminho largo que continua pelas pastagens da Ponta dos Frades até ao lugar onde Cristovão Colombo aportou na ilha em fevereiro de 1493 e onde hoje existe uma grande estátua em sua memória. Depois do posto de abastecimento na Baía dos Anjos, passado junto da piscina natural e do porto de pescas, o percurso segue em diversas pastagens, junto à orla costeira. A partir daqui o terreno relativamente plano e técnico será constante, mesmo nos terrenos da Costa Oeste onde se encontra a plataforma aeroportuária e o Campo Pequeno onde existirá o último posto de abastecimento antes da meta. A descida e subida da Ribeira Seca, direciona o percurso em direção ao farol do Malmerendo, passando junto de instalações onde em tempos existiram salinas. Com chegada à estrada Regional, entrada na zona industrial da ilha, a última passagem técnica faz-se no desvio para a Canada do Campo que desemboca numa rua paralela à principal artéria de Vila do Porto. A meta encontra-se no mesmo lugar do ponto de partida, em frente do claustro do Convento Franciscano, os últimos metros de prova fazem-se, de novo, em calçada típica.

 

Columbus Half Marathon - (CHM) Classifica para a Taça de Portugal

 

A Columbus Half Marathon terá início em frente à ermida de Nossa Senhora de Fátima, seguindo em direção às bananeiras com a sua descida em caminho rural, em direção à Baía do Raposo. O percurso segue por um túnel natural de vegetação endémica e onde se pode ouvir o canto do mais pequeno passeriforme da ilha de Santa Maria – a Estrelinha-de-Santa-Maria -  dando lugar o solo argiloso do Barreiro da Faneca que promete testar os limites das forças dos atletas quando estas argilas ficarem coladas aos seus sapatos. No lugar da Cré, a passagem junto do sopé do Monte Gordo faz-se numa descida muito técnica em caminho largo que continua pelas pastagens da Ponta dos Frades até ao lugar onde Cristovão Colombo aportou na ilha em fevereiro de 1493 e onde hoje existe uma grande estátua em sua memória. Depois do posto de abastecimento na Baía dos Anjos, passado junto da piscina natural e do porto de pescas, o percurso segue em diversas pastagens, junto à orla costeira. A partir daqui o terreno relativamente plano e técnico será constante, mesmo nos terrenos da Costa Oeste onde se encontra a plataforma aeroportuária e o Campo Pequeno onde existirá o último posto de abastecimento antes da meta. A descida e subida da Ribeira Seca, direciona o percurso em direção ao farol do Malmerendo, passando junto de instalações onde em tempos existiram salinas. Com chegada à estrada Regional, entrada na zona industrial da ilha, a última passagem técnica faz-se no desvio para a Canada do Campo que desemboca numa rua paralela à principal artéria de Vila do Porto. A meta encontra-se no mesmo lugar do ponto de partida, em frente do claustro do Convento Franciscano, os últimos metros de prova fazem-se, de novo, em calçada típica.

2.2. PROGRAMA / HORÁRIO

Programa das provas

Os atletas participantes que pretendam usufruir do transporte disponibilizado pela organização, deverão apresentar-se no local e hora indicados no site oficial da prova.

A data e hora das partidas de cada uma das provas consta do programa existente no site oficial https://www.azorestrailrun.com/columbus-trail e que pode ser acedido clicando aqui.

 

2.3. DISTÂNCIA (CATEGORIZAÇÃO POR DISTÂNCIA)/ ALTIMETRIA (DESNÍVEIS POSITIVO E NEGATIVO ACUMULADOS)/ CATEGORIZAÇÃO DE DIFICULDADE ATRP/ CAMPEONATO QUE INTEGRA / PONTOS ITRA


Toda a informação está disponível online em Percursos

2.4. MAPA/ PERFIL ALTIMÉTRICO/ DESCRIÇÃO PERCURSO

Todas as provas têm alguma dificuldade técnica e incluem, trilhos pedestres, com degraus, terra e pedras, pastagens e estradões.

A organização sinaliza o percurso com bandeiras vermelhas com refletores, e placas de sinalização vertical.. É imperativo seguir os caminhos sinalizados sem tomar atalhos. Os participantes, se deixarem de ver sinalização durante aproximadamente 200 metros, deverão voltar para trás até encontrar novamente a respetiva sinalização. O bom senso deve imperar.

Columbus Grand Trail  (CGT)

A prova terá um desnível positivo de 2810 metros, sendo o ponto mais elevado atingido à cota de 567 metros, e o ponto de cota mais baixa situado à cota zero.

Columbus Marathon (CM)

A prova terá um desnível positivo de 1440 metros, sendo o ponto mais elevado atingido à cota de 320 metros, e o ponto de cota mais baixa situado à cota zero.

Columbus Half Marathon (CHM)

A prova terá um desnível positivo de 630 metros, sendo o ponto mais elevado atingido à cota de 241 metros, e o ponto de cota mais baixa situado à cota zero.

2.5. TEMPO LIMITE

Os percursos, tempos e locais de controlo de passagem poderão sofrer ajustamentos até à data de realização da prova, em função de contingências climáticas e do terreno.

Qualquer atleta que se apresente num posto de controlo após o tempo estabelecido verá o seu peitoral retirado por um membro da organização e deverá abandonar a prova pois deixará de haver assistência desse ponto em diante, não sendo possível, quer à organização quer aos serviços de assistência, garantir a sua segurança.

Qualquer atleta que, por sua iniciativa, decida retirar-se da prova deverá informar a organização, para evitar que os serviços de assistência centrem a sua atenção num atleta alegadamente desaparecido, negligenciando o apoio aos atletas ainda em prova.

 

2.6. METEDOLOGIA DE CONTROLO DE TEMPOS

Será utilizado um sistema eletrónico de controlo de tempos. O processo de controlo de tempos do atleta será feito com recurso a leitores de chip em alguns locais do percurso, noutros locais com recurso a antenas e tapetes.

O chip será fixado na parte detrás do peitoral/dorsal do atleta, o qual, possibilita o registo da passagem do atleta. 

2.7. POSTOS DE CONTROLO

Os postos de controlo são pontos obrigatórios de passagem e estão localizados em locais delineados pela organização. Os postos de controlo de passagem poderão sofrer ajustamentos até à data de realização da prova, em função de contingências climatéricas e do terreno.

Haverá outros pontos, de localização não divulgada pela organização, de controlo do correto cumprimento do traçado por parte dos atletas (controlo manual). Não passar em um ou mais pontos de controlo, levará à desclassificação do participante. O controlo inicial e final será feito através de chip eletrónico.

Os postos de abastecimento irão disponibilizar aos participantes comida e bebida para ser consumida no local.

 

2.8. LOCAIS DOS ABASTECIMENTOS / APOIO EXTERNO

Columbus Grand Trail  (CGT)

Columbus Marathon (CM)

A prova terá um desnível positivo de 1604 metros, sendo o ponto mais elevado atingido à cota de 320 metros, e o ponto de cota mais baixa situado à cota zero.

Columbus Half Marathon (CHM)

A prova terá um desnível positivo de 360 metros, sendo o ponto mais elevado atingido à cota de 241 metros, e o ponto de cota mais baixa situado à cota zero.

2.9. MATERIAL OBRIGATÓRIO / MATERIAL RECOMENDADO / VERIFICAÇÕES DE MATERIAL

No dia em que levantar o dorsal, o atleta tem de assinar no secretariado o Termo de verificação material obrigatório, para a prova que irá participar.

No início, durante e no final de qualquer das provas poderá ser verificado, por parte de membros da organização, se cada atleta se faz acompanhar do material obrigatório, a seguir listado:

*dependendo das condições meteorológicas a organização pode exigir

- Qualquer participante que inicie a competição com bastões, terá de transportá-los até à linha de chegada. É expressamente proibido ter acesso ou abandonar os bastões em qualquer parte do percurso.

 

- Por questões de segurança, é recomendável aos participantes que façam a verificação do seu material, no intuito de confirmarem que está em perfeitas condições para a realização da prova

 

2.10. INFORMAÇÃO SOBRE PASSAGEM DE LOCAIS COM TRÁFEGO RODOVIÁRIO

Durante o percurso de ambas as provas há a possibilidade de ocorrência de tráfego rodoviário conforme se pode observar nos mapas do traçado das provas em Percursos, pelo que os atletas deverão estar atentos e com precaução).

2.11. PENALIZAÇÕES/ DESCLASSIFICAÇÕES

2.12. RESPONSABILIDADES PERANTE O ATLETA / PARTICIPANTE

Os participantes inscritos no Azores Trail Run® - Columbus Trail aceitam participar voluntariamente e sob a sua própria responsabilidade na competição. Por conseguinte concordam em não reclamar ou exigir à organização, colaboradores, autoridades, patrocinadores e outros participantes de qualquer responsabilidade com os mesmos e seus herdeiros, em tudo o que exceda a cobertura das suas responsabilidades, da dos seus colaboradores e participantes.

 

2.13. SEGURO DESPORTIVO

O organizador subscreve um seguro de responsabilidade civil e de acidentes pessoais durante a vigência do evento. Este seguro garante a cobertura das suas responsabilidades, das dos seus colaboradores e participantes.

As Condições de seguro poderão ser lidas nos seguintes links (Responsabilidade Civil e Acidentes Pessoais).

 

3. INSCRIÇÕES

3.1. PROCESSO INSCRIÇÃO

As inscrições feitas na página web www.myazotrestrailrun.com

Cada participante deve preencher corretamente o formulário de inscrição e pagar o valor da mesma no prazo estipulado. A veracidade dos dados fornecidos é da responsabilidade do participante, salientando-se a importância da exatidão dos mesmos para efeitos de seguro.

Os meios de pagamento disponíveis são: MB – Multibanco (só para território nacional e válida por 3 dias); Cartão de Crédito e PayPal.

Não é necessário o envio do comprovativo de pagamento.

Após confirmação do pagamento, o nome do atleta vigorará na lista de inscritos.

O pagamento da taxa de inscrição implica uma reserva de lugar, pessoal e intransmissível.

 

Qualquer esclarecimento adicional deverá ser solicitado por e-mail para info@azorestrailrun.com

3.2. VALORES E PERÍODOS DE INSCRIÇÃO

O período de inscrições decorrerá entre 18 de outubro de 2019 a 1 de janeiro de 2020.

 As taxas de inscrição são as seguintes:

Ao inscrever-se, o atleta está implicitamente a concordar na íntegra com o presente regulamento. Cada inscrição é pessoal e intransmissível.

 

3.3. Condições devolução do valor de inscrição

3.3. CONDIÇÕES DEVOLUÇÃO DO VALOR DE INSCRIÇÃO

A organização reserva-se o direito de não devolver o valor da inscrição dos atletas já confirmados mesmo em caso de desistência antecipada, caso estes não tenham subscrito o seguro de inscrição disponibilizado no formulário de inscrição. O reembolso das taxas pagas será feito na totalidade caso tenha subscrito e se cumprir as estipulações abaixo mencionadas. A data limite para pedir reembolso é até ao último dia das inscrições. Após a data limite não há reembolso mesmo que tenha subscrito o seguro de inscrição.

 

O reembolso apenas poderá ser solicitado quando um participante tiver comprovadamente:

  1. Doença grave imprevista, gravidez, lesão grave, ou morte do próprio ou de uma pessoa próxima deste ou do seu substituto em exercício no local de trabalho, tornando a presença do segurado essencial no local de trabalho;

  2. Danos graves à propriedade da pessoa segurada no seu local de residência, pelo fogo, tempestade, roubo ou danos causados pela água, fazendo a sua presença indispensável na residência;

  3. O cancelamento deverá ser solicitado por e-mail.

 

A organização não procederá ao ‘congelamento’ de inscrições.

Em caso de alteração de percursos ou cancelamento de qualquer das provas, seja por questões de ordem meteorológica adversa ou outros motivos de força maior, impeditivos da realização das mesmas, o valor das taxas de inscrição não será devolvido, nomeadamente quando as autoridades impeçam a realização da prova.

 

3.3.1. ALTERAÇÃO DE PROVA

É permitida a alteração de prova dentro do período de inscrições nas seguintes condições:

- Sempre que houver disponibilidade de lugares

- Caso já tenha pago a inscrição:

        - Se for para uma prova com valor superior o participante terá de pagar a diferença do valor entre as provas, nos valores em vigor à data da alteração

- Se for para uma prova com valor inferior o participante não terá direito a reembolso da diferença do valor entre provas

- Caso ainda não tenha pago a inscrição:

        - Seja upgrade ou downgrade de prova, não haverá pagamento de qualquer valor extra

Após o fim do período das inscrições não é permitido a alteração de prova.

 

 

 

3.4. MATERIAL INCLUÍDO / NÃO INCLUÍDO / EXTRAS COM A INSCRIÇÃO

Inclui:

- Peitoral (o peitoral é pessoal e intransmissível)

- Transfer de autocarro durante a prova

- Seguro Desportivo

- T-shirt Técnica

- Abastecimentos ao longo da prova

- Prémio de finisher (a todos os atletas que completem a respetiva prova)

- Cerimónia de entrega de prémios

 

Não inclui:

- Alojamento

- Ligações Aéreas

- Ligações Marítimas

 

Extras:

- Cerimónia Entrega de Prémios (Acompanhante Adulto): 14€

- Cerimónia Entrega de Prémios (Acompanhante Criança): 9€

- Seguro de Inscrição: 10€

3.5. SECRETARIADO DA PROVA / HORÁRIOS E LOCAIS

O secretariado funcionará na Biblioteca Municipal em Vila do Porto das 14:00 às 21:00 do dia 31/01/2020.

3.6. SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS

3.6.1. TRANSFERES DE AUTOCARRO

Transfers da Vila do Porto até aos locais do início das provas e regresso do final.

Dia 01-02-2020

     Columbus Marathon:

     concentração dos atletas no Largo Nossa Senhora da Conceição às 07:15, saída às 07:30

     Columbus Half Marathon:

     concentração dos atletas no Largo Nossa Senhora da Conceição às 09h45, saída às 10:00

4. CATEGORIAS E PRÉMIOS

4.1. Definição data, local e hora entrega prémios

4.1. DEFINIÇÃO DATA, LOCAL E HORA ENTREGA PRÉMIOS

No dia 1 de fevereiro às 22h00 no Largo na Vila do Porto.

 

4.2. CATEGORIAS ETÁRIAS/ SEXO INDIVIDUAIS E EQUIPAS

Em todas as provas, para além da classificação geral absoluta, serão considerados os seguintes escalões, referentes à idade do participante à data de 31 de outubro de 2020:

 

Geral M/F

SUB 23 M/F (18 aos 22)

Seniores M/F (23 aos 39 anos)

M40/ F40 (40 aos 44 anos)

M45/ F45 (45 aos 49 anos)

M50/ F50 (50 aos 54 anos)

M55/ F55 (55 aos 59 anos)

M60/ F60 (mais de 60 anos)

M65/ F65 - mais de 65 anos

 

Equipas

O apuramento da classificação por equipas será efetuado com base nas três melhores classificações dos respetivos atletas.

​​

Prémios

Os prémios serão entregues na cerimónia a realizar de acordo com o que está no programa.

Todos os atletas que terminem a respetiva prova têm direito a prémio finisher que será entregue na meta / chegada da respetiva prova.

 

4.3. PRAZOS PARA RECLAMAÇÃO DE CLASSIFICAÇÕES

As reclamações deverão ser dirigidas por escrito ao secretariado da prova no prazo máximo de 1 hora após a chegada do último atleta, acompanhado do valor de 50€. Caso a reclamação seja aceite, este valor ser-lhe-á devolvido. Os sócios da Associação de Trail Running de Portugal (ATRP) terão 1 semana para reclamar (no que respeita ao ranking da ATRP).

 

5. DIREITOS DE IMAGEM

A organização reserva em exclusivo o direito à imagem da prova. A inscrição na prova e a consequente aceitação deste regulamento implica a autorização do participante à gravação de imagens derivadas da sua participação, podendo a organização utilizá-las na divulgação e promoção da prova em qualquer suporte. Desta forma, o participante cede à organização todos os direitos de imagem relativos à utilização desses registos. Qualquer projeto ou suporte publicitário deve ter prévia autorização da organização.

 

6. PROTEÇÃO DE DADOS 

Os dados dos participantes indicados no formulário de inscrição serão registados pela entidade organizadora para efeitos exclusivos de processamento no evento, sendo publicados nomeadamente na lista de inscritos, notícias diversas e classificação. Todos os participantes podem exercer o seu direito de acesso, retificação ou anulação dos seus dados pessoais, enviando um correio electrónico para info@azorestrailrun.com​

7. INFORMAÇÕES

7.1. ETIQUETA PARA SACOS PARA MUDA DE ROUPA

- Aos participantes nas provas by Azores Trail Run® será fornecido uma etiqueta para saco de muda de roupa, o qual será encaminhado diretamente para a zona de meta (chegada). Os participantes entregam o saco na zona de partida, o qual ser-lhes-á devolvido na zona de chegada mediante a apresentação do peitoral.

- A organização não assume quaisquer responsabilidades sobre o conteúdo dos mesmos sacos.

- A organização não transportará nada mais além do saco de muda de roupa.

 

7.2. MODIFICAÇÕES

Estas regras podem ser editadas, alteradas ou melhoradas a qualquer momento pela entidade organizadora, sem aviso prévio.

 

7.3. OUTROS

O Comissariado de prova e Diretor de prova decidirá sobre todos os assuntos relacionados com o evento e que não foram objeto de regulamentação ou sobre más interpretações do presente regulamento.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Flickr - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
strava.png
Alto Patrocínio / Main Sponsor
GRA VP Vertical CMYK.png
Patrocinadores / Sponsors
click-01.png
Associados / Associates
UTMBQualifyingRace.png
LOGOGTNS.png
UTWT.png
Xtrail_by_compressport_banner_PNG.png
Patrocinadores de Prova / One Trail Sponsor
Azores Trail Run
Triangle Adventure
Triangle Adventure

info@azorestrailrun.com
© 2018 Azores Trail Run