Whalers' Great Route Ultra-Trail®

117.9 km  
5390 m  
5410 m
UTWT.png
UTMBQualifyingRace.png
Captura de ecrã 2018-10-30, às 18.14.05.
UTWT.png

Nos orgulhamos de fazer parte do  circuito CHALLENGER/ UTWT500 do Ultra-Trail® World Tour com o Whalers’ Great Route Ultra-Trail® 


- Corridas em trilha com mais de 100km
- Corredores de todo o mundo 
- Um convite para viajar a novos e excepcionais destinos como no coração da China, no norte do Círculo Ártico ou no meio do Atlântico Norte.

 

O Ultra-Trail World Tour leva-te aonde tu nunca pensaste que iria. 

Whalers' Great Route Ultra-Trail® is proud to be part of the CHALLENGER/ UTWT500 circuit from Ultra-Trail ®World Tour.


- Races of 100+km
- Runners from all over the globe
- Travel to new destinations like the heart of China, the North Arctic Circle or the middle of the North Atlantic Ocean

 

The Ultra Trail World Tour brings you to where you never thought you’d run. 

 
Conheça as Outras Percursos da Azores Trail Run® Whalers´Great Route
Learn about the other Routes from Azores Trail Run® Whalers´Great Route

65k

42k

25k

10k

Kids Trail

Whalers Great Route Ultra-Trail® (WGR) 

 

Os Açores foram marcados durante mais de um século pela atividade baleeira. A baleação deixou sinais indeléveis, na identidade cultural açoriana e hoje faz parte do imaginário coletivo dos açorianos. Com a extinção da caça ao cachalote, nos anos 80 do século XX, um vasto património relacionado com essa atividade ficou disperso pelo arquipélago. Em todas as ilhas são ainda visíveis múltiplos testemunhos que atestam os aspetos tecnológicos, sociais, económicos e históricos da baleação açoriana.

 

Whalers Great Route Ultra-Trail® – A Whalers Great Route Ultra-Trail® (WGR), inicia-se no Posto Baleeiro do Salão (Faial), utilizado desde o séc. XIX até ao fim da baleação. Este integra duas Casas Sazonais e a Rampa de Varagem do Salão seguindo em direção à freguesia dos Cedros passando pela vigia da baleia dos Cedros e Império do Cascalho. Dirigindo-se em direção à Fajã da Praia do Norte, esta fajã caracteriza-se por se encontrar num abaixamento da orografia da ilha, junto à Baía da Ribeira das Cabras, que surge sobranceira a uma imponente arriba coberta por vegetação das florestas da Laurissilva típica da Macaronésia. No povoado encontramos o abastecimento numa adega, junto à Ermida de Nossa Senhora da Penha de França, cuja edificação aconteceu cerca de 1787.

 

Chegará ao Forte de São Sebastião, antiga fortificação de defesa marítima do Faial, enquadrada numa das mais belas baías do mundo, cuja construção remonta ao início do Séc. XVII e onde as primeiras baleeiras americanas se abasteciam, não só de água e comida como de marinheiros.

 

Este facto deu origem à baleação nos Açores e demonstrou que os açoreanos foram dos melhores baleeiros do mundo. A famosa saga moby dyck fazia menção aos baleeiros açorianos.

 

Passando pelo Complexo Baleeiro das Angústias (Faial). Integra os seguintes imóveis: Fábrica da Baleia de Porto Pim, Fábrica Velha, Armazém e Casa dos Botes da Reis & Martins, Rampa de Varagem de Santa Cruz. Este Complexo constitui-se no fim do séc. XIX e operou até ao fim da baleação.

 

Os atletas encontrarão locais emblemáticos e de rara beleza, como a Praia do Porto Pim, Monte da Guia, Monte Queimado, Monte das Moças (Observatório Príncipe Alberto do Mónaco), Marina da Horta e Avenida marginal. Correrão ao longo dos trilhos e caminhos de acesso à primitiva vila da Horta. Passando pela Espalamaca, a rota continua, pelo terreno fraturado da costa este do Faial, uma região profundamente moldada pela dinâmica das falhas tectónicas. Esta região caracteriza-se como uma estrutura tectónica complexa, dominada predominantemente por falhas relativamente paralelas com uma orientação WNW-ESSE. Esta é uma manifestação local da fratura Faial-Pico. Algumas destas fraturas apresentam áreas bastante elevadas, designadas localmente como “lombas”, junto a áreas profundas, designadas localmente como “Afundamentos”, sendo estas áreas divididas por imponentes falésias de rochas expostas, como o Graben da freguesia da Praia do Almoxarife (de Pedro Miguel). Este graben é uma imponente formação geológica, mergulhando no mar na pequena praia que deu à freguesia o seu nome. Vários cones vulcânicos e escoadas de lava surgiram em consequência desta atividade tectónica.

 

Ao chegar ao centro da freguesia da Ribeirinha, a rota prossegue em direção ao antigo porto – Porto da Boca da Ribeira. Antigo Varadouro Baleeiro, integra a Rampa de varagem da Ribeirinha e foi utilizado apenas no século XIX.

Serão transportados a outros tempos, onde os habitantes utilizavam estes “caminhos” para o transporte de bens entre as localidades, pelos seus próprios meios ou auxiliados por animais.

Passará pelo farol, destruído durante a crise sísmica de 1998, o que continua a recordar-nos da natureza vulcânica destas ilhas e das suas gentes. Uma significativa parte do trilho decorre no maior e mais espetacular “graben” do arquipélago, onde uma considerável porção de terreno colapsou entre duas falhas tectónicas. Passará pela Lomba Grande, que corresponde à encosta de uma destas falhas. O trilho termina na Caldeira, o maior e mais importante vulcão da ilha, onde tem início o Trilho dos dez vulcões.

O trilho passa em áreas do Parque Natural do Faial, considerado um destino europeu de excelência (EDEN) pela comissão europeia, sendo a única área em Portugal com esta classificação. Transporta-nos para uma viagem no tempo, pela história da Geologia do Faial. Vai de costa a costa, seguindo a formação da ilha.

 

A última parte corresponde ao trilho dos dez vulcões, e tal como o nome indica, inicia-se numa das mais espetaculares caldeiras vulcânicas do planeta e passa, ao longo dos seus 22km, pelos 10 vulcões mais importantes do alinhamento fissural da Península do Capelo. A biodiversidade e geodiversidade são uma constante nesta rota, destacando-se as surpreendentes paisagens desta península, onde a grande maioria das plantas endémicas dos Açores podem ser encontradas no seu estado natural. Este trilho cruza os cones vulcânicos mais recentes do Faial e termina num dos mais importantes locais geológicos do mundo, o mais jovem território Português, o adormecido Vulcão dos Capelinhos. Uma autêntica paisagem lunar onde é possível pisar em terreno com apenas 59 anos de idade, formado principalmente por cinzas, tufo e bombas vulcânicas.

 

A rota termina no Porto do Comprido, ao nível do mar, na maior e principal estação baleeira dos Açores entre 1940 e 1957.

Whalers Great Route Ultra-Trail® (WGR)

The Azores islands were marked for over a century by whaling. Whaling left indelible signs within the Azorean cultural identity, being now a part of the collective Azorean imaginarium. With the end of sperm whale hunting, in last century's 80's decade, a vast patrimony related to this activity remained throughout the archipelago. In all islands, multiple testimonies that attest the technological, social, economic and historical aspects of the Azorean whaling are still visible.

 

Whalers Great Route Ultra-Trail® – Whalers Great Route Ultra-Trail®  (WGR), begins at Salão whaling post (Faial), which was used from the 19th century until the end of the whaling activity. It integrates two seasonal houses and Salão’s slipway. The trail following towards Cedros parish passing through Cedros’s Whale watch post and Cascalhos’s Holy Ghost Empire. It continues towards Praia do Norte’s Fajã. This small settlement is located at an Island’s topographical lowering, next to Ribeira das Cabra’s bay, overlooking an imposing hillside covered by Laurel forest’s vegetation which are typical of the Macaronesia’s archipelagos. In the village there’s a supply in a cellar, next to Nossa Senhora da Penha de França’s Hermitage, whose construction dates back to around 1787.

 

Eventually you will arrive at São Sebastião fort. This ancient maritime defense fortification of the island, located in one of the Most Beautiful Bays in the World and whose construction dates back to the early 17th century. It is also where the first American whaling ships stocked, not only water but also seamen. This fact gave rise to whaling in the Azores, showing that Azoreans were among the best whalers in the world. Also, the worldwide famous Moby dick saga mentioned the Azorean whalers.

 

Afterwards, you will pass through Angústias (Faial) Whale complex, which integrates the following properties: Porto Pim Whale factory, old factory, Reis & Martins warehouse and boats house and Santa Cruz slipway. This complex was built at the end of the 19th century operating until the end of whaling activity.

 

The athletes will find emblematic places of rare beauty, like Porto Pim Beach, Monte da Guia, Monte Queimado, Monte das Moças (Prince Albert of Monaco Observatory), Horta marina and the avenue by the sea. They will run on ancient access paths and trails to the primitive village of Horta. The route goes through the fractured terrain of Faial’s Eastern Coast, a region deeply worked by tectonics, starting in Espalamaca and characterized by a complex tectonic structure, dominated by roughly parallel faults, direction WNW-ESE, which is a local manifestation of Faial-Pico Fracture. Some of these fractures have very pronounced elevations, locally called “Lombas” and deep areas called “Afundamentos”, flanked by large cliffs of exposed boulders, such as Praia do Almoxarife (Pedro Miguel) parish’s graben. This graben is an imposing geological formation, plunging into the sea in the small beach that gave the parish its name. Several volcanic cones and lava flows arose as a consequence of this tectonic activity.

 

Arriving at Ribeirinha parish’s centre, the route goes to the old port – Boca da Ribeira Port. This old whaling slipway was only used during the 19th century.

Afterwards, you’ll be transported to other times when the inhabitants used these “roads” to carry goods between the villages, by their own means or aided by animals. Passing by a lighthouse, destroyed during 1998 seismic crisis that keeps reminding us of the volcanic nature of these islands. A significant part of the trail is made in the biggest and most spectacular “graben” of the archipelago, a big piece of land that collapsed between two tectonic faults. Passing by Lomba Grande, the slope of one of these faults, the trail ends at the central caldera, the biggest and most important volcano of the island, where the Ten Volcanoes Trail starts.

The trail passes by Faial Nature Park protected areas, considered a European Destiny of Excellence (EDEN) by the European Commission, and it is the only area in Portugal with this classification. It transports us to a journey in time, in the history of the geology of Faial. It goes from coast to coast, following the formation of the island. 

 

The last part corresponds to the Trail of the Ten Volcanoes. As the name indicates, it starts at one and most spectacular volcanic calderas of the planet and passes, along its 22 km, by the 10 most important volcanoes of Capelo Peninsula’s fissural alignment. Biodiversity and geodiversity are a constant on this course, standing out the astonishing landscapes of this peninsula, where a great part of the Azores endemic plants can be found in its natural state. This trail crosses the most recent volcanic cones of Faial Island and ends at Portugal’s youngest territory, Capelinhos Volcano, an authentic moonscape, where it is possible to step on only 57 years old terrain formed mainly by ashes, tuff and volcanic bombs, one of the most important geologic places in the world, the dormant Capelinhos Volcano.

It ends at Comprido’s port, at the sea level, on the main and largest whaling station of the Azores between 1940 and 1957.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Flickr - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
strava.png
Alto Patrocínio / Main Sponsor
Patrocinadores / Sponsors
click-01.png
Associados / Associates
UTMBQualifyingRace.png
LOGOGTNS.png
UTWT.png
Patrocinadores de Prova / One Trail Sponsor
Azores Trail Run
Triangle Adventure
Triangle Adventure
logo_vila.png
Columbus Trail

info@azorestrailrun.com
© 2018 Azores Trail Run